São Paulo na luta para transformar o Brasil em potência olímpica

Unido, o atletismo brasileiro segue em seu trabalho de superar obstáculos e aprimorar, cada vez mais, a infraestrutura daquela que é a modalidade considerada mãe de todas as outras, pois lida com movimentos básicos do ser humano como andar, correr, saltar, arremessar e lançar.

São Paulo está devidamente comprometido com essa filosofia de fortalecimento.

Considera importante o avanço sustentável da prática desportiva não apenas no sentido de ganhar medalhas, mas, também, para massificar o atletismo e incentivar o povo brasileiro a melhorar sua qualidade de vida através do esporte, que traz saúde, educação, cultura, inserção social e cidadania.

O estado bandeirante é o centro das grandes realizações no atletismo. Tem um calendário de atividades figurando ente os mais completos da América Latina e abrangendo as mais diversas categorias.

Não é por acaso, portanto, que São Paulo responde por cerca de 80% dos selecionados brasileiros da modalidade, do mirim ao adulto (de alto rendimento).

Está de parabéns a nossa Federação, que procura, através de vigorosas parcerias com o Governo do Estado e sua competente Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, comandada de forma brilhante pelo secretário José Auricchio Junior.

O Centro de Excelência Esportiva paulista é um verdadeiro celeiro de grandes atletas. E a realização dos Jogos Escolares, reunindo milhares de crianças e adolescentes, são duas iniciativas da Secretaria e do Governo que mantêm o Estado como carro-chefe da Nação no atletismo.

Recentemente, tivemos a oportunidade de participarmos de uma reunião de avaliação feita nas dependências da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), sob o comando de seu presidente José Antonio Martins Fernandes, o Toninho.

Na ocasião, houve um estudo minucioso da atuação brasileira em campeonatos internacionais ao longo de 2013: Mundial de Atletismo de Moscou (Rússia), Mundial de Menores de Donetsk (Ucrânia) e Sul-Americano de Adultos de Cartagena (Colômbia).

As participações brasileiras foram consideradas boas no Sul-Americano (onde a Seleção Nacional foi campeã) e no Mundial de Menores (Vitor Hugo dos Santos conquistou a medalha de prata nos 200m).

Quanto à preparação para o Mundial de Moscou, as análises mostraram bons resultados dos campings de treinamento.

Todos os campings e competições solicitados pelos treinadores foram realizados.

Houve campings na Colômbia e Bolívia, para treinamento em altitude dos maratonistas; Alemanha, de velocidade e revezamento; Espanha e Portugal, de saltos horizontais; Itália, salto com vara.

Os bons resultados em provas que levaram atletas do País a ficar entre os oito primeiros no Mundial foram realçados.

Seis atletas ficaram entre os oito primeiros em provas individuais. No salto com vara masculino, Augusto Dutra foi também para a final, embora não tenha se classificado entre os oito primeiros. Os revezamentos 4x400 m masculino e 4x100 m feminino também conseguiram um lugar na prova final.

Com o pleno engajamento de São Paulo enquanto principal potência da modalidade, estamos certos de que o nosso País, a curto e médio prazo, se fortalecerá muito, tornando-se a potência olímpica que tanto desejamos.

É continuar trabalhando nesse sentido, com transparência e democracia participativa.





Mauro Roberto Chekin

Presidente da FPA

FPA. Pensando Gente. Pensando Você!

FEDERAÇÃO PAULISTA DE ATLETISMO
Rua Manoel da Nóbrega, 800 - Paraíso - São Paulo - SP - Cep: 04001-002
Fone: (11) 3884-1211


Todos os direitos reservados.
Visite nosso site: www.atletismofpa.org.br